INFLUENZA A (H1N1) = GRIPE SUÍNA

panfleto_hn1

Há tratamento para Influenza A(H1N1) no Brasil?

Sim. O Ministério da Saúde adotou um protocolo para tratamento, com utilização de um medicamento antiviral que será usado apenas nos pacientes do grupo de risco (menores de 2 anos, maiores de 60 anos, gestantes, cardiopatas, diabéticos, hipertensos, imunodeprimidos, doenças respiratórias prévia, doença renal e metabólica) e que apresentam Síndrome Respiratória Aguda Grave. O remédio deve ser tomado até 48 horas a partir do início dos sintomas. Por isso, é importante procurar logo uma unidade de saúde em caso de suspeita de estar infectado pela Influenza A(H1N1).

 ALERTA: Ninguém deve tomar o medicamento sem indicação médica. A utomedicação pode mascarar sintomas, retardar o diagnóstico e até causar resistência ao vírus.

 A vacina contra gripe comum protege contra a Influenza A(H1N1)?

Não há, até o momento, nenhuma evidência de que a vacina contra gripe comum proteja contra gripe do vírus A(H1N1).

 É seguro comer carne de porco e produtos derivados?

Sim. Você pode comer carne de porco e seus derivados cozidos ou assados.

 Quais as recomendações do Ministério da Saúde para os viajantes internacionais?

a) Às pessoas que se destinam aos países afetados:

• Em relação ao uso de máscaras cirúrgicas descartáveis, durante toda a permanência nos países afetados, seguir rigorosamente as recomendações das autoridades sanitárias locais.

• Ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com um lenço, preferencialmente, descartável.

• Lavar as mãos frequentemente com água e sabão, especialmente depois de tossir ou espirrar.

• Evitar locais fechados com aglomeração de pessoas.

• Evitar o contato direto com pessoas doentes.

• Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal.

• Evitar tocar olhos, nariz ou boca.

• Em caso de adoecimento, procurar assistência médica e informar história de contato com doentes ou/e roteiro de viagens recentes.

• Não usar medicamentos sem orientação médica.

 b) Às pessoas que estão voltando de viagens internacionais:

Pessoas que estão voltando de outros países, independente de ter ou não casos confirmados da doença, e apresentarem alguns dos sintomas em até 7 dias após saírem desses países, devem:

• Procurar assistência médica no Módulo de Saúde da Família ou Hospital Municipal em caso de agravamento dos sintomas.

• Informar ao profissional de saúde o seu roteiro de viagem.

 O que é a Influenza A(H1N1)?

É uma doença respiratória aguda (gripe), causada pelo vírus Influenza A(H1N1). Este novo subtipo do vírus da influenza, assim como a gripe comum, é transmitido de pessoa a pessoa, principalmente por meio de tosse ou espirro e de contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas.

Quais os sintomas que definem um caso suspeito de Influenza A (H1N1)?

Febre superior a 38°C, com tosse e dispnéia, acompanhada ou não de dor de garganta ou manifestações gastrointestinais. Esses sintomas surgem em até 7 dias após contato com o vírus da Influenza A(H1N1) ou após ter contato próximo com uma pessoa com suspeita ou confirmação de infecção por Influenza A(H1N1).

 O que devo fazer se apresentar os sintomas?

Você deve procurar logo assistência médica no Módulo de Saúde da Família ou Hospital Municipal em caso de agravamento dos sintomas para que possamos realizar a transferência para um hospital de referência, para monitoramento e, se necessário, tratamento.

 Se você for um viajante que esteja retornando de vôos internacionais:

– Se estiver no avião – você deve comunicar à tripulação os sintomas para que a equipe de bordo providencie junto à ANVISA e às autoridades de saúde do aeroporto o seu atendimento médico.

– Se estiver no aeroporto – procurar o posto da ANVISA no aeroporto.

– Se você já estiver em casa – não tome medicamento por conta própria e procure logo a unidade de saúde. Informe ao médico o seu roteiro de viagem.

 Em quanto tempo, a partir da transmissão, os sintomas aparecem?

Os sintomas podem iniciar no período de até 7 dias após contato com esse novo subtipo do vírus e a transmissão ocorre, principalmente, em locais fechados.

 Há uma vacina que possa proteger a população humana contra essa doença?

Não. Mas a vacina está sendo testada em outros países.

* FONTE: Blog Comunica Búzios

http://comunicabuzios.wordpress.com/2009/07/01/medidas-simples-para-se-prevenir-da-gripe/

agosto 8, 2009 at 1:57 pm Deixe um comentário

ADOTE – Aliança Brasileira pela Doação de Órgãos e Tecidos

material05

 

ADOTE é uma organização não governamental, sem finalidade econômica, fundada em 20 de novembro de 1998, em Pelotas, RS, cuja missão é atuar no sentido de promover mudanças de atitudes e valores da Sociedade e Estado para preservar e melhorar a vida.

Atua no Controle Social e dedica-se a divulgação de informações sobre o processo doação-transplante de órgãos através de diversos processos midiáticos, realizando campanhas de esclarecimento público, palestras e mesas redondas. Participa também de fóruns para a definição de políticas públicas na busca do entendimento de que todas as instituições hospitalares reconheçam na notificação da morte encefálica o caminho para o efetivo crescimento e desenvolvimento do processo doação-transplante de órgãos.

Os diversos dispositivos da cadeia de atuação da ADOTE incluem-se: Internet, folhetos, adesivos, livros, palestras, reuniões informativas, orientação de trabalho escolares e artigos para jornais.

Sua força de trabalho é constituída de voluntários. Alguns voluntários, cerca de 60, são mantenedores. Entre os voluntários que atuam diretamente na direção da instituição 95% têm curso superior, alguns com doutorado. As profissões são as mais diversas: Eng. Agrônomo, Professor de Ensino Superior, Administrador de Empresa, Contador, Advogado, Pedagogia e Serviço Social.

PROMOVENDO A DOAÇÃO

Em que pese os problemas do sistema de saúde, o qual ainda se mostra insuficiente para atender as necessidades da população em sua plenitude, desenvolveu-se no Brasil uma notável capacidade técnica para a realização de transplantes. Apesar desse fato e da fantástica evolução da tecnologia médica em favor da vida, o fato real é que o sucesso dos transplantes, como nenhuma terapia, depende da participação da sociedade através da doação de órgãos.

“Qualquer pessoa pode doar órgãos. Nenhuma religião é contra a doação. Pelo contrário, toda religião apóia o amor aos outros, que inclui o ato de doar-se. Para um transplante de órgãos, só importa a compatibilidade entre você e as várias pessoas que esperam um coração, um pulmão, um rim. Uma vida.”

Discuta esse assunto em casa, no trabalho, na escola e descubra como você poderá ajudar a promover a doação de órgãos. Neste site podem ser encontradas informações e materiais para lhe ajudar. E lembre-se: “ser doador não é apenas permitir que partes de nós, em vida ou após a morte, passem a ser partes de outros. É também doar nossas aptidões pessoais e profissionais para tornar possível a vida de muitos, através dos transplantes”.

Saiba mais…

SITE: www.adote.org.br

maio 16, 2009 at 1:55 pm Deixe um comentário

SÍNDROME DO AMOR

logoversaosem1
Sindrome do Amor
Você já se sentiu um estranho no ninho, ou já fez algumas viagens com uma pessoa do seu lado que não tinha nada a ver com você, ou já foi jogar uma partida pôquer onde você só sabe jogar “21” ou “roba monte”.
Pois é, às vezes somos um estranho no mundo, um mundo que não admite erros, um mundo que massacra qualquer que seja sua diferença, credo, raça, etnia, finanças ate mesmo clubes.
Nós, os seres humanos, temos uma capacidade de superar o imaginário mundo cruel, mais para isso, dependemos primeiro de reconhecermos que não devemos fazer comparações, não devemos culpar nada e ninguém, como uma grande amiga diz “nada é por acaso”, aprendemos a cada dia, e melhor ainda, aprendemos com as diferenças que a vida prepara para cada um.
As crianças brincam e brigam entre si, mais são muito raro que elas vêem as diferenças a sua volta, as diferenças físicas ou mentais, diferenças que para os adultos, é absurdo, e sempre vem àquela velha frase “coitadinha”.
Assim como para as mães, seus filhos sempre serão seus filhos, independente do que for sua diferença ou deficiência.
Para muitos pais, assustados e com medo do desconhecido, pode sentir culpa, ou ver onde esta o erro, mais independente de qual seja o problema, uma criança é sempre uma criança que vai trazer felicidade mesmo que adversa as nossas vidas, mais quando os pais encaram os problemas de frente, e agradece ao “cara La de cima” pelo presente que lhe foi dado, e mesmo essa criança voltando ser anjo, esse pai continua com sua luta em prol dos “futuros” e “atuais” familiares de crianças especiais.
Pensando nisso, surgiu a “SÍNDROME DO AMOR”, uma mãe que ao saber da sindrome do seu filho, procurou encarar os fatos e bustar informações para dar uma qualidade de vida para a criança, ela lutou e ainda luta, mesmo com a perda de seu filho de três anos, com a Síndrome de Edwards, essa mãe guerreira mostra que, mesmo com a perca, Thales veio ao mundo pra ensinar em pouco tempo que poderá mudar uma vida. Uma frase que Marilia deixa sempre, que é “o sofrimento é o intervalo entre duas felicidades”.
Abaixo Marilia nos mostra, o que é ser “sindrômico” e como participar dessa trupe do bem.
 Síndrome do Amor – A doença que cura

Muito do que será dito aqui é baseado na experiência de ser mãe de uma criança portadora de necessidades especiais, o Thales, meu grande professor que nasceu em Ribeirão Preto em maio de 2004, com Síndrome de Edwards.
Com a história do Thales, depois de três anos chegamos à Associação Síndrome do amor. Ao ter um bebê com alguma anomalia genética, a primeira palavra que passamos a ouvir muito é síndrome. No início, chega a ser um palavrão, tamanho o pavor que temos de assumir que nosso filho não nasceu normal. Depois vai chegando uma compreensão, um amor tão grande que nos descobrimos sindrômicos também, portadores da Síndrome do Amor.
Somos um grupo de pais e profissionais das mais diversas áreas que nos unimos para apoiar, informar, trocar experiências com famílias que passam pelo desafio de conviver com um filho diferente.
Começamos com algumas dicas para Mamães especiais que acabaram de saber que seu bebê precisará de muito mais cuidados do que elas poderiam imaginar. Vão as dicas:

PERMITA-SE SOFRER – Quando é confirmado que seu filho terá limitações é uma grande decepção, vem culpa, dor. Um choque enorme para qualquer Mãe, Pai, toda a família, amigos. Chore, sofra, recolha-se para viver essa dor intensamente. Só que tudo tem um limite, se dê um prazo. Um bebê especial precisa muito da Mãe. Não dá pra ficar se lamentando muito tempo. Há muito trabalho pela frente.
EVITE A “VITIMITE” – Não aceite o papel de vítima. Esse é o pior caminho que você pode escolher. Se começar a se perguntar: “Por que comigo?”, “O que fiz pra Deus?”, é garantida a depressão e a amargura para sempre. É mais sábio aceitar o que não pode ser mudado e dar continuidade à vida.

PENA É A ÚLTIMA COISA QUE SEU FILHO PRECISA – Os cuidados com uma criança especial muitas vezes exigem procedimentos incômodos e até dolorosos que são extremamente necessários para seu bem-estar e segurança. Não fique com peninha. É importante que você aprenda a resolver esses problemas e o faça com naturalidade. Lembre-se que as limitações físicas estão relacionadas com o aumento da percepção. Se você estiver bem, seu filho estará bem.

VIVA O MOMENTO – Não permita que sua mente vá para o passado, nem para o futuro. Isso requer exercício diário. Questionamentos do tipo “será que vai acontecer isso…” ou “será que ele conseguirá aquilo…” só aumentarão sua ansiedade e nada mais. Viva cada minuto como se fosse o único.

FALE SOBRE O QUE SENTE – Encontre uma forma de falar sobre seus medos, suas dúvidas, sua dor. Os amigos de antes nem sempre são as melhores pessoas para dividir agora. Eles também ficam chocados sem saber como agir. Procure pessoas que vivam realidades semelhantes a sua. A vida muda, a gente se transforma depois de uma experiência assim. A sensação pode ser a de estar falando e pensando em outro idioma.

CONTROLE AS EXPECTATIVAS – Lembre-se, fique no presente. Se alimentar a idéia de que se agir assim, seu filho responderá assado, pode se frustrar. Outra coisa é esperar um milagre ou cura. Muitas crianças especiais têm alterações genéticas, que não são doenças, portanto não podem ser curadas. Isso não quer dizer que não deva estimular, procurar terapias, só não se esqueça de se satisfazer com o que seu filho pode lhe dar.
NÃO FIQUE CONCENTRADA NAS LIMITAÇÕES, VEJA AS POSSIBILIDADES – A gente sofre muito quando fixa os olhos apenas no que nossos filhos não podem fazer e ainda perde a oportunidade de curtir as conquistas, que são muitas. Seu filho tem potencial como qualquer outra criança. O que é necessário é respeitar seu tempo e rever as referências.
EVITE COMPARAÇÕES – Dê de presente todos os seus livros de Puericultura. Você vai perceber que aceitou integralmente seu filho quando olhar para um bebê de 10 meses treinando os primeiros passos e o seu, com 1 ano e meio, ainda nem sentou (isso é apenas um exemplo) . Se pararmos para pensar, filho não vem com manual de instruções, cada um, com necessidades especiais ou não, é único. Escreva sua própria cartilha.
PREPARE-SE PARA CONSOLAR AS PESSOAS – Para quem não vive essa realidade, um filho “com problema” é uma catástrofe, algo para acabar com a vida de qualquer pessoa. É comum que ao seu saber que seu bebê especial chegou, quem a conhece comece a procurar algum deslize seu que justifique o “castigo”. Perdoe, fazemos isso para ter a sensação de que não vai acontecer conosco. Já pensamos assim um dia… É preciso estar treinado para responder perguntas malucas e mostrar que não é bem assim. Mas não se esforce muito, não acreditarão mesmo em você ou acharão que o choque a deixou meio louca.
GOSTE DE VOCÊ – Continue a vida. Trabalhe, namore, se arrume, vá pra balada. Seu filho não nasceu para estragar sua existência. É muito peso atribuir a ele essa responsabilidade. Não é justo, inclusive. Seja feliz e garanta bons resultados.
CONVERSE COM SEU FILHO – Não importa o estado dele. Mesmo que os médicos digam que ele não pode entender, converse. Peça que reaja, que se esforce, diga que o ama, que o quer muito. O tom deve ser leve, sem imposições. Use o bom senso e confie. Como qualquer pessoa ele pode e tem direito de subir um degrau de cada vez.

VOCÊ TEM DUAS OPÇÕES: ENFRENTAR OU ENFRENTAR – o Pai, a avó, a tia, a enfermeira, a babá podem surtar e cair fora, agora Mãe não tem essa opção. Você tem duas chances: ou se entrega à amargura e acaba com a sua vida, ou transforma essa experiência na melhor oportunidade que poderia ter. A escolha é exclusivamente sua.

APRENDA A ACEITAR – Conscientize-se do seu verdadeiro tamanho em relação ao Universo. Há coisas que precisamos viver e não adianta espernear, se revoltar. Pare de questionar e vá à luta. Seu filho precisa de você e não pode esperar.

PEÇA AJUDA – Você tem que ser forte, mas isso não quer dizer que tenha que ser onipotente. Prepare pessoas que possam cuidar bem do seu filho na sua ausência. Tenho um plano B,C,D. Permita-se descansar, dormir bem, mesmo que só algumas noites por semana. Isso vale para todas as mães e filhos

NÃO ESQUEÇA OS OUTROS FILHOS – Se tem outras crianças, o natural é que acabe se concentrando na que precisa de mais cuidados. Numa dessas, você pode acabar se esquecendo dos outros filhos, o que sempre é desastroso. Estabeleça horários para curtir cada filho separadamente, mesmo que por minutos apenas. Mostre que os ama por igual e os incentive a cuidar do irmãozinho “diferente”.

TENHA FÉ. CONFIE. – Fica difícil aceitar algo tão fora dos planos se não tiver pelo menos uma visão espiritual, mesmo que incipiente. Essa pode ser a única oportunidade de se abrir para algo maior, para o amor incondicional, para Deus.

DESACREDITE – Hoje em dia com o acesso fácil à informação, nossa tendência é ir buscar conhecer sobre a “doença” de nossos filhos. Aí vêm os casos e o desespero. Cada criança é uma criança, não se impressione. Desacredite também dos médicos quando o prognóstico for muito pesado. Lembre-se que esses profissionais foram formados para a cura e se sentem em dívida conosco quando não podem fazer muito, ou tudo. O médico é um ser humano antes de ser médico. Nosso desafio á apenas mostrar para eles que queremos nossos filhos e assumiremos os riscos juntos.Nunca se esqueça: nossas crianças estão fora do padrão e ninguém tem culpa disso, portanto, evite injustiças.

NÃO TENHA MEDO DO SEU BEBÊ – a idéia de que com esse filho especial tudo pode acontecer é sempre equivocada. Não é com ele, tudo é possível com qualquer pessoa. Ficar sempre em posição de alerta só vai deixar você e todos da casa malucos. Vá se educando a não ter medo das surpresas que podem surgir. Isso não diz respeito a emergências, mas também a progressos. Ninguém pode afirmar o que seu filho poderá ou não alcançar, portanto prepare-se

também para alegrias.

NÃO ABRA MÃO DO AMBIENTE AGRADÁVEL – Para adaptar uma criança especial são necessárias mudanças na casa. Sabemos disso, mas não permita que seu lar vire um hospital. No mundo inteiro as instituições de saúde começam a se preocupar e utilizar técnicas utilizadas em hotéis para suavizar a “paisagem hospitalar”. Parece fútil, mas não é. Continue cuidando para que seu pedacinho no mundo seja o mais colorido e agradável possível. Todos agradecem.

APAIXONE-SE – O filho especial também gosta de sentir que você se derrete por ele, assim como qualquer criança. Quem é que não gosta de um olhar apaixonado, um abraço gostoso daqueles de saudade? Comemore um sorriso, bata palmas, sorria também. Avalie o esforço que ele deve ter empregado para um pequeno aprendizado e acabará se conscientizando que está frente a frente com um verdadeiro herói.

FINALMENTE, AME – Filho é sempre filho, seja ele como for. Quando se distrair e começar a pensar no futuro dele, lembre-se da única certeza que se pode ter: é seu filho e merece todo o seu amor. Relaxe, se permita e ame…Vale muito a pena !!

Converse conosco:
Conheça a comunidade Pais de Crianças Especiais
E também o blog
Marília Castelo Branco
mail@mariliacbranco.com.br

abril 26, 2009 at 11:17 pm Deixe um comentário

SALVE DELARA DARABI

save_delara_feb26

Delara Darabi, hoje com 23 anos, foi presa e condenada a morte no Irã quando tinha 17 anos. Acusada de homicídio, Delara faz companhia a mais 31 jovens no corredor da morte iraniano.

Na prisão, Darabi, que foi condenada pela morte de uma prima de seu pai, pinta quadros enquanto aguarda a execução da pena.

Segundo a defesa da jovem artista, Delara foi persuadida a assumir o crime para proteger o namorado, na época com 19 anos e apesar dos apelos pela anulação da sentença, Delara poderá ser execultada a qualquer momento. A sentença continua valendo e só uma decisão do aiatolá Shahrudi, chefe supremo do poder judicial iraniano, poderá salvar a vida de Darabi.

Com o apóio da Anistia Internacional, o caso ganhou campanha na Internet, Stop Child Executions (Pare com Execuções de Crianças) e vem tomando proporções internacionais. Delara ganhou uma página no MySpace e um espaço no site de fotos Flickr. A intensão é comover a opinião pública internacional e fazer um abaixo-assinado pedindo a suspensão da sentença de Delara.

Este não é o primeiro caso de execuções de menores no Irã. Nos últimos 17 anos, o país executou 22 jovens que teriam cometido crimes antes dos 18 anos. Apesar de ser segnitário da Declaração Internacional de Direitos Civis e Políticos, que proibe pena de morte para menores, as execuções são motivadas pela aplicação da Sharia, lei islâmica que respalda a pena de morte para menores, inclusive por apedrejamento, em casos de adultério e incesto.

Em 2004, Rajabi, com então 16 anos, foi enforcada sob a acusação de cometer “atos incompatíveis com castidade”. Rajabi teria mantido relações sexuais com um homem mais velho e tirado o hijab, lenço que cobre a cabeça usado por mulheres muçulmanas, enquanto discutia com o juíz do caso. Enforcada em local público pelo próprio juiz que a condenou, o corpo de Rajabi fico exposto por vários dias para servir de exemplo.

A ARTE DE DELARA:
www.stopchildexecutions.com/Delara_Photo_Gallery.aspx

SALVE DELARA DARABI – assine a petição:
www.stopchildexecutions.com/Delara.aspx

Salve Delara: http://savedelara.com/

abril 21, 2009 at 12:19 pm Deixe um comentário

DOE SANGUE

ds

O Brasil necessita diariamente de 5.500 bolsas de sangue, seja um doador!

A doação de sangue é segura e não demora mais de 1/2 hora. Todo o material utilizado é descartável e oferece total segurança ao doador de sangue.

Se você tem medo de doar sangue, pelo menos doe qualquer quantia em dinheiro para uma das 50 Melhores Entidades do Brasil. 

Doe o equivalente ao custo operacional por doador que todo Banco de Sangue tem, aproximadamente, R$100,00.

 
REQUISITOS PARA DOAR SANGUE

Você deve ter mais de 18 e menos de 60 anos;
Seu peso deve ser superior a 50 kg;
Se homem, deve ter doado há mais de 60 dias;
Se mulher deve ter doado há mais de 90 dias; não estar grávida; não estar amamentando; já terem se passado pelo menos 3 meses de parto ou aborto;
Se você não teve Hepatite após os 10 anos de idade;
Se você não teve contato com o inseto barbeiro, transmissor da Doença de Chagas;
Se você não teve malária ou esteve em região de malária nos últimos 6 meses;
Se você não sofre de Epilepsia;
Se você não tem ou teve Sífilis;
Se você não é diabético;
Se você não tem tatuagens recentes (menos de 1 ano);
Se você não recebeu transfusão de sangue ou hemoderivados nos últimos 10 anos;
Se você não ingerir bebidas alcoólicas nas 24hs que antecedem a doação;
Se você estiver alimentado e com intervalo mínimo de 2 horas do almoço;
Se você dormiu pelo menos 6 horas nas 24hs que antecedem a doação;
Se você não se expõe ao risco de contrair o vírus da AIDS, tendo comportamentos como:
* não usar preservativos em relações sexuais
* Ter tido mais de dois parceiros sexuais nos últimos 3 meses
* usar drogas injetáveis

Antes da doação você vai passar por uma entrevista de triagem clínica, na qual podem ser detectadas algumas condições adicionais que possam impedir sua doação. Após cada doação serão realizados os seguintes exames em seu sangue:

Tipagem sangüínea ABO e Rh;
Pesquisa de anticorpos eritrocitários irregulares;
Teste de Coombs Direto;
Fenotipagem do Sistema Rh Hr( D,C,E.c,e) , Fenotipagem de outros sistemas;
Testes sorológicos para: Hepatite B, Hepatite C, Doença de Chagas, Sífilis, HIV (AIDS), HTLV I/II;
Todas as vezes que você doar sangue serão feitos todos esses testes, e você receberá o resultado em cada doação.

.

DOAÇÕES ON LINE

Faça uma doação pela internet:

Doe para as 50 Melhores Entidades Beneficentes do Brasil

1. Veja as lista das vencedoras do Prêmio Bem Eficiente de 2006 no link: www.filantropia.org/doacoes_online.htm

2. Procure visitar também o site da entidade para obter maiores informações.

3. Seja um Voluntário da entidade, ou, pelo menos,visite-a.

4. Nunca faça uma doação por impulso! Veja como doar.

Após fazer uma avaliação pessoal, você estará pronto para fazer uma doação inicial.

Observações:

A maioria das entidades no Brasil são sérias. Nossa avaliação é que 99% das maiores entidades são idôneas. Esta porcentagem é superior a maioria dos outros setores da economia. Saiba mais no artigo: Nossas Entidades são Idôneas?

Nossas avaliações se referem ao passado da entidade. Nada podemos garantir quanto ao desempenho futuro delas.

Por isso, sugerimos sempre iniciar seus donativos com valores pequenos e aumentar os valores gradativamente, à medida que você se torne mais confiante no resultado das suas doações.

.

ENDEREÇOS DOS HEMOCENTROS EM TODO O BRASIL

www.anvisa.gov.br/sangue/hemoterapia/hemocentros/index.htm

Mais informações sobre endereços dos demais postos, horários e condições para doar pode ser obtidas no site do Ministério da Saúde: www.saude.gov.br

.

* FONTE: www.filantropia.org/DoeSangue.htm

abril 18, 2009 at 2:09 pm Deixe um comentário

EVÉRTON MARQUEZ – MEDULA ÓSSEA

everton

Evérton Luis Souza Silva Marquez tem 31 anos e mora em Porto Alegre – RS.
Em março de 2008 ele descobriu que estava com leucemia mielóide aguda e fez o tratamento de quimioterapia, que terminou em agosto de 2008.
Mas, para ficar totalmente curado, ele precisa do transplante de medula óssea.
Na família dele não existe ninguém compatível e a chance de achar uma pessoa compatível fora da família é de 1 para cada 100.000.

Perfil de Evérton no Orkut:
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=64740109

Blog do Evérton:
http://doemedulasalvevidas.blogspot.com

Locais para doação:
– Hospital Dom Vicente Scherer, 7° andar (Complexo da Santa Casa) – Fone: (51) 3214.8670
– Hemocentro: Avenida Bento Gonçalves – Fone: (51) 3336.6755
– Hospital de Clinicas, 2° andar – Fone: (51) 2101.8504

 
ALÉM DELE, EXISTEM OUTRAS PESSOAS QUE TAMBÉM AGUARDAM DOADORES.
Participe da campanha de doação e faça o teste, que é muito simples: basta uma coleta de 10ml de sangue.
DOE MEDULA! SALVE VIDAS!

LISTA DOS PRINCIPAIS LOCAIS PARA TESTE DE DOAÇÃO DE MEDULA ÓSSEA EM TODO O PAÍS: http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=2146

março 22, 2009 at 12:07 pm Deixe um comentário

DOE MEDULA ÓSSEA

campanha_medula_0

 

INFORMAÇÕES SOBRE A DOAÇÃO DE MEDULA ÓSSEA

Passo a passo para se tornar um doador

Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea. Esta é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, e se recompõe em apenas 15 dias.

• Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente.

• Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante.

• Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação.

• Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor. A chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de UMA EM CEM MIL!

• Por isso, são organizados Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação.

• Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte.

• A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo.

• É muito importante que sejam mantidos atualizados os dados cadastrais para facilitar e agilizar a chamada do doador no momento exato. Para atualizar o cadastro, basta que o doador ligue para (21) 3970-4100 ou envie um e-mail para redome@inca.gov.br.

Caso você decida doar

1. Você precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante).

2. Onde doar: é possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos Hemocentros de cada Estado. No Rio de Janeiro, além do Hemorio, o INCA também faz a coleta de sangue e o cadastramento de doadores voluntários de medula óssea. Para mais informações, ligue (21) 2506-6064.

3. Como é feita a doação: será retirada por sua veia uma pequena quantidade de sangue (5ml) e preenchida uma ficha com informações pessoais.

Seu sangue será tipificado por exame de histocompatibilidade (HLA), que é um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que podem influenciar no transplante. Seu tipo de HLA será incluído no cadastro.

Seus dados serão cruzados com os dos pacientes que precisam de transplante de medula óssea constantemente. Se você for compatível com algum paciente, outros exames de sangue serão necessários.

Se a compatibilidade for confirmada, você será consultado para confirmar que deseja realizar a doação. Seu atual estado de saúde será avaliado.

A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação por um mínimo de 24 horas. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana.

4. Mais informações

Central de Notificação e Captação de Órgãos

Perguntas e Respostas sobre Transplante de Medula Óssea

Importante: um doador de medula óssea deve manter seu cadastro atualizado sempre que possível. Caso haja alguma mudança, a pessoa deve entrar em contato com o REDOME: (21) 3970-4100 / redome@inca.gov.br.

O Transplante de Medula Óssea é a única esperança de cura para muitos portadores de leucemias e outras doenças do sangue.

CEMO
Praça Cruz Vermelha, 23, 7º andar – Centro
20230-130 – Rio de Janeiro – RJ
Tel.: (21) 2506-6215  Fax: (21) 2509-2121

março 7, 2009 at 4:58 pm Deixe um comentário

Posts antigos


Categorias

  • Blogroll

  • Feeds